terça-feira, 12 de maio de 2015

Folclore Oculto: 6º Episódio; Ultima Parte.

Olá leitores.
Na ultima parte (AQUI) eu deixei certas dúvidas sobre o caráter do amado personagem Cissa, e hoje deixarei o rapaz se explicar. Tirem vossas conclusões.
  
(esse tempo no sítio está mudando Núbia, se não se lembram, nos primeiros episódios ela tinha mechas e seus cabelos eram bem curtinhos, mas algumas semanas depois, sem cabelereiro e morando no mato dá o que vemos na imagem a cima).

5

Núbia andou em passo ligeiro pelo bosque escuro, seus pensamentos estavam tão confusos quanto a vez e que foi hipnotizada pelo boto, oh sim, estavam muito mais confusos. Logo alguém surgiu da mata repentinamente e a colocou contra uma arvore, de forma inesperada, mas não brusca.
_ Oi menina _ disse Cissa com seu sorriso maroto.
Núbia mexeu os braços e soltou-se de Cissa.
_ Nunca perde essa mania de aparecer do nada! _ reclamou Núbia.
_ Perdão _ disse Cissa _ eu só queria te acompanhar, vai se um louco aparece do nada na mata e te agarra _ ironizou.
Núbia não pareceu gostar da piada, permaneceu nem um pouco humorada, o que não foi difícil para Cissa notar.
_ O que foi? Parece brava.
_ Confusa _ corrigiu Núbia ríspida. _ Preciso conversar com você.
_ Está bem _ disse Cissa curvando a cabeça na tentativa de ver melhor o rosto de Núbia que permanecia baixo e bravo. _ Eu também precisava falar com você, mas... acho que não é uma boa hora para isso.
_ Depende _ disse Núbia. _ O que você quer falar? _ Antes que Cissa dissesse algo Núbia prosseguiu. _ Por acaso seria a verdade sobre você? Ou vai continuar mentindo para mim? Quando estava pensando em falar a verdade, hein? Quando eu já tivesse roubado o capuz para você? Ou quando isso acontece você simplesmente iria dar um fim em mim?
Cissa ficou por alguns segundos paralisado, depois conseguiu soltar o ar dos pulmões e esboçar um sorriso.
_ Do que está falando menina? Ficou louca, é?
Núbia o fuzilou com os olhos e o puxou pela gola da camisa aproximando os rostos.
_ Deixa de ser cínico Cissa.
Cissa franziu os olhos.
_ Assim, te olhando de perto, você fica mais atraente _ comentou espontaneamente.
Núbia rosnou e o soltou, depois uma turbilhão de sentimento a invadiu e ela sentiu seus olhos lagrimejarem, tentou segurar o choro com toda a força que pode, mas era quase impossível.
Ela sabia que se Edgar tivesse falado a verdade, Cissa jamais contaria nada a ela, e se não tivesse, também.
Ela simplesmente sentou no chão úmido do bosque e ficou sem ação, totalmente perdida. Cissa então sentou junto a ela e respirou fundo.
_ Eu sabia que Edgar faria isso, só não imaginei que seria tão cedo _ disse Cissa, e Núbia o fitou; ele prosseguiu: _Me perdoa menina, por te mentido para você no inicio, e de realmente ter pensado na possibilidade de lhe usar para reconquistar meu capuz. Me perdoa por ser um idiota, grosso de vez em quando, e te levar para lugares sem te perguntar se você quer ir, e principalmente, quero que me perdoe por ter me apaixonado por você, e por isso, mesmo quando já tinha desconsiderado meu plano inicial, não ter conseguido te falar a verdade. Me perdoa Núbia Katleen Elizabeth Cabrall.
Núbia estava mais perdida ainda com tudo aquilo, mas a única coisa que conseguiu dizer foi:
_ Você lembra meu nome inteiro?
Cissa expressou um leve sorriso.
_ Me lembro de cada palavra dita por sua voz, e cada segundo vivido ao seu lado.
Núbia também esboçou um sorriso.
_ Esse lado galanteador você também escondeu de mim.
_ Esses livros de poesia me inspiram _ admitiu Cissa, ele então sorriu maroto _ E sua beleza também.
_ Já pode parar _ disse Núbia. _ Então você admiti, que tudo que Edgar disse é verdade?
_ Não sei o que Edgar disse, mas o conhecendo bem, posso dizer que uma parte é. Eu fui o Saci, não sou mais. E eu quis te usar inicialmente, mas no fim das contas, deixei que você me usasse.
Núbia não conseguia sentir ódio de Cissa, mas ao lembrar-se de tudo que leu sobre o Saci e o que Edgar contara sobre sua origem, também não conseguia vê-lo com os mesmos olhos de antes.
_ Você amaldiçoou os Cabrall?
_ Sim _ disse Cissa natural.
_ Antes de se transformar em Saci matou várias pessoas?
Aquilo deixou Cissa nervoso, mas ele ainda tentou responder.
_ Sim, mas isso faz séculos. Pra que ficar remoendo isso, não é?
_ Você era um demônio.
_ Exato, era. E o que prova que não sou mais é o fato de eu ter conseguido entrar na igreja aquela vez que fugíamos da Ângela-sem-cabeça, lembra?
Sem dúvida Núbia lembrava, mas ainda não havia relacionado os fatos.
_ Mas você tinha medo de entrar, achou que não conseguiria.
_ É que nem eu confiava muito em mim. Eu tinha tentado uma vez e senti minha pele inteira queimar, mas naquela noite, minha vontade de te proteger foi tanta que acho que fui perdoado por meus pecados temporariamente _ ele acariciou o rosto de Núbia. _ Você conseguiu me mudar, Menina.
_ E como sei que posso realmente confiar em você?
_ Não posso fazer nada sobre isso...
_ Nem eu _ disse Núbia em tom baixo; ela se levantou. _ Eu só queria ouvir de você tudo isso.
Ela tentou caminhar de volta,  mas Cissa segurou-a pelo braço.
_ Ei, não pode simplesmente ir dessa maneira!
Núbia o fuzilou com os olhos.
_ Por que não?
Cissa parecia não ter ouvido direito.
_ Eh... _ Cissa baixou o olhar. _ Posso ao menos te dar algo antes de você voltar para o covil daquele macumbeiro do Edgar?
Núbia deu de ombros.
Cissa tirou do bolso da calça uma espécie de colar, na verdade um simples fio marrom que amarrava uma pedra negra perfeitamente oval. Ele posicionou-se atrás de Núbia e colocou o colar prendendo o fecho de metal negro.
_ Essa é uma ônix, pedra que protege da negatividade e desenvolve seu espirito e energia mística _ disse Cissa descendo as mãos pelos braços de Núbia. _ Você não seria uma bruxa sem um colar de pedra.
Núbia afastou os braços das mãos de Cissa; segurou e analisou belo pingente natural.
_ Obrigada _ disse sem muito animo.
_ Acho que não tenho mais o que falar, não é? _ disse Cissa entortando os lábios. Núbia o fuzilou com o olhar, o que serviu como uma resposta que não, ele não tinha mais nada o que falar. _ Só... Permita-me ao menos fazer um pedido: Poderia se encontrar comigo amanhã, na cachoeira? Por favor.
Núbia não confirmou nada somente deu de ombros e se foi.

Chegando ao casarão, Núbia ouviu Edgar discutindo com alguém, uma voz feminina e familiar, que fez um arrepio lhe percorrer a espinha.
Entrou correndo e a viu na escada com um vestido verde de renda, longo e refinado. Ela passava as mãos pelo próprio corpo analisando-se.
_ Até que é bonitinho _ dizia a mulher olhando o vestido.
Edgar apoiado ao corrimão, permanecia com os braços cruzado a olhando impaciente.
_ Devia agradecer, depois de tudo que fez não merecia presente algum _ disse ele.
_ Lia! _ brado Núbia do andar de baixo.
A mulher do vestido de renda voltou-se a Núbia com um amplo sorriso.

_ Oi mocinha. Sentiu minha falta?


Espero que tenham gostado. Comentem o que acharam ;)
 O próximo episódio será também o ultimo e até agora, pelo que já escrevi, está ficando muito bom, vocês vão gostar.
Beijos e até a próxima.

6 comentários:

  1. ultimo da temporada ne ? cissa ta virando galanteador aprendeu com o jack foi ? asahash (sim eu sempre tenho que fazer uma piada pra nao perder meu jeito rsrs ) bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim, mas como n sei se tera mais temporadas, pode ser o ultimo de tudo.
      Cissa é sem vergonha, isso sim, kk, e inteligente, dai surge esses galanteios. Mas imagino jack e cissa juntos: dupla inresistivel.

      Excluir
  2. tipo todo mundo ia ficar doido se eles se juntassem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. devemos planejar algo relacionado. hum....

      Excluir
  3. A série tá no fim? Buááááá........chorando precipitadamente. Muitas das minhas estórias favoritas estão no fim, e eu como leitora irresponsável estou tendo dificuldades de acompanhar a reta final.
    Realmente, o lance da igreja é algo que eu não tinha pensado.
    Liara está de volta!!!!!
    E por ultimo, deixa eu perguntar: Você pretende escrever mais séries?
    Thau, até a próxima!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não chore que eu também chorarei. Tudo tem um fim, mas é sempre bom lembrar que o fim de uma historia é somente o inicio de outra.
      Sim, toda a série foi de caso pensado, kk, estava tudo planejado desde do inicio (pelo cissa e por mim, kkk), por isso tudo que ocorreu tem certa relação.
      Liara é vida, kk.
      E por ultimo, minha resposta é vaga, perdão. Eu tenho muitas histórias, poucas posso transformar em série por isso não tenho certeza de nada ainda, mas é bem provavel que sim, eu faça outras séries.
      Bjs e até.

      Excluir

No Crystal Land, os comentários são permitidos a qualquer um, não é necessário senha sequer outro meio que dificulte a publicação de um comentário aqui, é somente escrever, mandar, e esperar que os autores publiquem o comentário e responda; resumindo: o trabalho fica todo conosco, mas a opinião é de vocês. ;)
Leitor, comente o que achou sobre o texto! É importante ao autor e a melhoria do blog.